segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Sonhos


Bastou um fôlego para perder a coragem e o rumo. Um momento apenas para deixar de sentir, para perder o olhar que dantes brilhava. Inimputável. Invencivel. Eu não sei ter noção. Patilharei aquilo que se fez perdido.

"Assim os claros filhos do mar largo, Atingidos no sonho mais secreto, Caíram de um só golpe sobre a terra..."
Sophia de Mello Breyner Andresen

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

"One day i'll fly away"

É um todo que gira à nossa volta. É olhar para as fotografias, passar por elas todos os dias e pensar que um dia se vão desvanescer. É fazer chamadas que nos fazem perceber que é cada vez maior a distância que se poe entre nós. É sermos nós a crescer e os outros a ficar cada vez mais velhos, mais apagados. Encarar que é natural e que está para breve, custa, mói aquilo que, intrinsecamente, sabemos que é frágil. São familiares, amigos. Pessoas que nos fazem um bocadinho mais completos, todos os dias. Sim, é por isso mesmo que nos desfazemos em pedaços.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Remember?



To do


E vai ser isto. Mais e mais disto. Acabaram-se os obstáculos e o conforto. É passar para o outro lado, para o desconhecido, para o que nos pode levar mais longe. Não ficar preso ao agora nem ao de há bocado. Levar para a frente aquilo que se quer para nós, sem deixar muito espaço para aquilo que os outros querem de nós. Ninguém nos leva a lado nenhum, disso tenho a certeza. Ninguém vai viver os meus sonhos por mim. Nem eu me vou dar ao luxo de o permitir. Por isso é dar o salto, dizer que sim às oportunidades e voar daqui pra fora. Não há garantias de amanhã. Tenho que fazer o hoje.

Gatos

Da próxima vez que te apanhar a passear dentro do meu armário, Nala, da próxima vez...

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Obrigadinha

Isto às vezes dá-lhe para ser querida e até me compra aqueles vestidos e aquelas túnicas que tanto cobicei ;)
Este fofinho já cá canta

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Fica dito

Se há coisa que me chateia é ter pessoas mesquinhas atrás daquilo que eu faço prontas para criticar e para a seguir fazerem igual como se fossem muito (mas muito) boas. E odeio especialmente as que vivem a nossa vida porque a deles, coitados, não tem qualquer interesse. E pra piorar a situação, escrevem com erros. Há gente muito triste.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

(Não) desistir


Eu desisti. Quando era nova demais para saber tomar as decisões certas. E agora dou cabo das unhas quando vejo bailarinas perfeitas.
É a vida.

As saudades que se guardam

Pois qual não é o meu espanto quando, ao desviar o olhar da conversa, acabei por pousar toda a minha atenção em diversas telas pintadas a óleo, que me fizeram esvoaçar para um mundo completamente aparte. Podia jurar que já os tinha visto antes, aquelas ondulações, aqueles tons que tanta saudade me trazem do Verão. Era uma parede longa, olhei o primeiro e reparei nos outros tantos que se seguiam, mas por não ter o melhor ponto de visão fiz questão de me levantar para os apreciar melhor. Nomes. Ahh têm nomes. Pois. "Closer to the edge". Deve haver aqui algum equivoco, ou sou eu que estou maluca por achar pouco comum um quadro com este nome? O seguinte, maroto, fez o favor de se chamar "Fallen" e um outro dá-se por "Night of the Hunter"...
Obrigada Inês, querida, por continuar a pintar quadros magníficos e por lhes dar nomes da nossa banda preferida.
E não, não me esqueci da minha adorável explicadora de matemática. Daí o espanto e contentamento por ter tornado a minha noite mais sorridente.


sábado, 12 de fevereiro de 2011

Thinking...

Estou cansada de ser magra. Não, não sou maluca. Fico irritada de todas as vezes que vou às compras e deixo para trás dezenas de coisas que não me ficam bem. Como por duas pessoas, a toda a hora. E ainda assim não subo nem um quilinho na balança. Desgraçadas calças que comprei no verão, escorregam pelas pernas. Alguém conhece uma formula mágica? Agradecia.


sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Dinner

Hoje é noite para aproveitar a companhia dos bons, dos que nunca vamos esquecer. Aqueles que conhecemos desde as fraldas e que hão-de permanecer connosco até à reforma.


Preparada e pronta para o jantar, até logo ;)


Bom Dia

Hoje sonhei com a Primavera, outra vez. Sonhei com as roupas que ainda não existem no meu armário, mas está para breve.


E não é que sabe bem não ter as duas primeiras aulas da manhã? Acordar somente para me deslocar à escola para fazer uma aula em que se faz exercício físico, não podia ser melhor ;)
(é só pena este dia... eu a pensar que acordava para me deparar com um sol, daqueles deslumbrantes)

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Dias


Hoje foi dia de enlouquecer. Foi dia de rever um amiga do 3º ano; foi dia de chegar a casa e ligar o ipod às colunas e começar a dançar como se já estivesse no concerto; foi dia  de comer um saco cheio de gomas e de beber um litro de água logo a seguir; foi dia de saltar para cima da plataforma para começar a fazer exercício; foi dia de fazer um teste de português de olhos fechados e mesmo assim, garantir a nota; foi dia de ficar com falta de ar por um professor de ed. física; foi dia de passar horas a tocar piano e de sorrir porque amanhã já é sexta feira; foi dia de abraçar a pessoa mais importante para mim e foi dia de adorar as minhas amigas. Foi dia de muitas mais coisas. E estou grata :)
Ainda bem que há dias assim.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Black Swan

E isto de uma pessoa ser perfeccionista ao ponto de enlouquecer?


Todos nós temos um pouco do cisne negro, deep inside
Dos melhores :)

Inverno, despacha-te.

Andar de mão dada com doenças não é, de todo, qualquer coisa agradável. Principalmente quando nos impedem de andar por aí sem estar dependente de luvas, caso contrário, ficava sem mãos, de tão roxas que ficam. só quero é que passe o Inverno num abrir e fechar de olhos e que chegue rápido rápido a estação em que podemos vestir peças de roupa leves, que já deixam saudades.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

yesterday

Run away


O que eu queria agora era poder trocar, uma vez mais, os heróis de Português pelo descanso, por uma tarde quente de primavera e pela companhia dos heróis das minhas histórias preferidas. Tenho saudades de me apaixonar pelas personagens que me transportam, todas as noites, para o mundo delas, para a realidade que tento, tantas vezes e sem sucesso, alcançar.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Night


Está na hora de me render a um dos muitos livros que estão há séculos adormecidos, antes que seja eu a ocupar o lugar deles.
Boa noite.

Today

Prometo

Dia 8 de Julho, se não morrer até lá, vou estar na primeira fila, qualquer que seja o sacrifício necessário.





(Não) Voltar atrás

Um Passado. Irremediável. É a única certeza que todos temos. É a única certeza que eu tenho. Se quereria voltar atrás, para refazer e reinventar? A resposta é mais que sabida. Não precisaria de nada disso. Para reinventar, reinvento agora. Para refazer e remediar, tenho o amanhã. Deixei para trás o que queria ter descolado de mim. Larguei por não conseguir suportar, larguei por querer demasiado. Agarrar o agora pode não ser suficiente para me garantir que o amanha também será meu. São as horas, os dias, a vida, a procura, o desespero e a loucura. É uma vida, respirada num sufoco, agarrada do desespero, sentida no nada, que é tudo. São os sonhos, os que são meus, os que partilho, os que invejo. Mas os meus, são só meus e hei-de matar para os fazer sair da irrealidade.
Crescer, viver, ultrapassar, tirar o máximo gozo do que nos atira para o chão e nos espezinha. Nunca voltar atrás. Nunca olhar para trás.

"All I have, all I need is the air I'd kill to breathe"

Friday

Nada sabe melhor que o fim da semana. Todas as segundas acordo a pensar "já falta pouco pra ser sexta". É assim a rotina.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Inspiração do dia


Pensei que só acontecia nos Contos de Fadas. Afinal, não.

Sensibilidade


Nem todos os dias consigo erguer o muro que faz a separação entre aquilo que mostro aos outros e aquilo que realmente sou. Hoje, então, encontrei uma dificuldade imensa em mostrar um sorriso que evita as questões de o que se passa? ou o que tens?. Chateia-me imenso ter que acreditar e adorar os milhões de livros que a minha tia faz questão que eu leia, sobre o Deus em que ela acredita, só porque dou credibilidade às novas modas dos medium e das bruxas. Não há nenhum Deus que estude por mim ou que resolva os meus problemas, pois não? Por muito que eu reze e peça. Não vão cair do céu as pessoas simpáticas e carinhosas para eu me relacionar, nem vão surgir bebidas que me tirem o cansaço de cima... Por isso, hoje, por favor, só hoje, não façam perguntas. A minha cabeça flutua, algures, num outro mundo onde posso passar horas a não fazer rigorosamente nada. Ou onde posso falar durante horas com a única pessoa que nunca se cansa de mim, num lugar onde há um cabelo para eu brincar e fazer tranças, um mundo onde posso trocar os livros de psicologia pelos desenhos animados da minha infância. Quero adormecer sem me lembrar quem foi o Infante de Portugal e sem saber calcular limites e continuidades.
It's enough.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Berlim

Com uma viagem a aproximar-se a cada dia que passa, começam as ansiedades com o que vestir. Numa cidade onde, aparentemente, neva na Primavera, fico sem saber o que ir desencatar ao armário. Não sou, nem de longe, dada a países gélidos. Mas conseguem sempre ser os que me atraiem mais.
Que preciso de me preparar, isso sim. Como? não faço ideia.

Este pedaço já é meu

A felicidade não é um patamar que se alcança, com mais ou menos esforço. A felicidade, encontro-a eu em vários recantos, em pequenos e doces momentos que se cruzam comigo. Hoje, num dia que nada tinha de especial, deixei-me levar pela melhor sensação, pelo melhor pôr-do-sol, mesmo com o frio que me abraçava. Hoje, deixei o meu olhar percorrer toda a linha que separava o azul do céu e o verde do mar, e imaginei que mais poderia haver para além daquilo. Sorri com as ondas que rebentavam e invejei todos aqueles que, com coragem, se deixaram levar pelo gozo que é mergulhar nas águas mais frias e apetitosas, ao fim do dia. Deliciei-me com as memórias de um lugar onde, um dia, já troquei sorrisos e sensações com as pessoas mais queridas. Hoje, (re)encontrei imagens das minhas cidades preferidas, lá fora. Ouvi as músicas que mais me apertam o coração e imaginei que personagens poderia acrescentar ao livro que é a minha vida. E depois pensei, tal como penso todos os dias quando vejo que o sol espreitar lá fora... porque é que não são assim, todos os dias?
Guardo tudo, todos estes momentos, bem cá comigo.