quinta-feira, 31 de março de 2011

"Aprender a viver"

Não pegava numa HAPPY há séculos, e quando decidi que precisava de mais tempo para mim, comprei-a. E eis que surge um grande e inspirador texto, de um autor brilhante:
"Depois de algum temp aprendemos a diferença, entre dar a mão e acorrentar a alma. Aprendemos que amar não significa apoiar-nos e que companhia nem sempre significa segurança. Aprendemos que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E começamos a aceitar as derrotas com a cabeça erguida.
Aprendemos a construir a nossa estrada no hoje, porque o amanhã é incerto... Depois de algum tempo aprendemos que o sol queima se ficarmos expostos por muito tempo. E aprendemos que não importa o quanto nós nos importamos, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceitamos que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-nos de vez em quando e precisamos perdoá-la por isso.
Aprendemos que falar pode aliviar as nossas dores emocionais. Descobrimos que levamos anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podemos fazer coisas num instante, das quais nos podemos arrepender o resto da vida.
Aprendemos que as verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que temos na vida, mas quem temos na vida. E que os amigos são a familia que nos permitiram escolher.
Percebemos que as pessoas que mais amamos na vida sao levadas de nós muito depressa, por isso devemos deixá-las sempre com palavras de afecto, porque pode ser a última vez que as vemos.
Descobrimos que levamos muito tempo paranos tornarmos a pessoa que queremos ser mas que todo o tempo é curto. Aprendemos que não importa onde já chegámos, mas para onde vamos, e se soubermos isso, qualquer lugar serve.
Aprendemos que ou  controlamos as nossas acções ou elas acabam por controlar-nos. E que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, porque em todas as situações existem sempre dois lados.
Aprendemos que pacienca requer muita prática. Descobrimos que algumas vezes as pessoas de que menos esperamos são aquelas que nos estendem a mão e ajudam a levantar quando caímos.
Descobrimos que só porque alguém não nos ama da forma que nós gostaríamos isso não significaque esse alguém não nos ame com tudo o que pode. Aprendemos que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes temos que perdoar-nos a nós próprios. Aprendemos que não importa em quantos pedaços o nosso coração foi partido, o mundo não pára para que o possamos consertar. E que a vida tem muito valor e que nós temos muito valor perante a vida."
William Shakespeare

Há coisas que surgem sempre nos momentos mais oportunos

terça-feira, 29 de março de 2011

De Paris, avec l'amour


Isto de quem tem familiares a voar pelos cantos do mundo, constantemente, até tem as suas vantagens.
Ainda não tinha surgido a oportunidade para provar estas coisas, mas agora que o fiz vai ser mais um sacrifício para lhes resistir.
E os tão famosos chocolates de cacau, a reencarnar do vintage, é de comer e chorar por mais.

Grâce

sábado, 26 de março de 2011

O mundo lá fora

Uma das sensações que mais me atormenta é a de que há um mundo inteiro lá fora para viver e para explorar, e eu aqui, cingida a Lisboa, a Portugal. Não desprezo nada daquilo que fez de Pessoa o homem mais orgulhoso, mas quando me permito sonhar e voar daqui para fora não há Londres, Paris, Barcelona ou Itália que passem despercebidas e que não me deem a maior vontade de pegar numa mochila e começar o meu caminho. Do zero. Com todos os pretextos para deixar cá para trás tudo o que já passou e avançar um passo em frente, depois de tantos dados no sentido contrário.
E isto tudo a propósito de

Tarde, doce tarde

Farta de letras e de livros, agarrei-me aos doces. Quandos as gomas já não chegam vamos ter com a nossa fabulosa e querida amiga Bimby, que nos prepara sempre agradáveis surpresas, sejam elas quais forem. Desde os ingredientes, à receita, ao raspar o creme que fica no fim... fazer doces, nesta casa, é o melhor. E comê-los também, claro. Para a semana experimento fazer destes

sexta-feira, 25 de março de 2011

ef̱charistíes

Não posso deixar de mencionar o quão grata fico pelas surpresas que me proporcionam. Saber que, das pessoas que menos esperamos, recebemos uma grande admiração é, de facto, gratificante.


Quero (pelo menos) um, por favor


Hoje à noite #1

E que bem que sabe deixar para trás os testes e os trabalhos e as explicações e deixar-me consumir pelo fim-de-semana, em que a única coisa que é preciso fazer é deliciar-me com os sistemas imunitários e afins, tão bons companheiros.
E depois de excluir a ideia de ficar até as tantas agarrada ao piano, optei por pegar nos dossiers, repletos de memórias e de sorrisos escondidos, e abraçar aqueles que por aí deambulam e que tantas saudades deixam por cá. Paris e Itália. A distância é grande mas nem isso consegue separar o muito que nos une.
E não vou deixar escapar esta noite sem ver e rever um dos filmes que mais me cativou. Por isso, esta noite, vai ser




E quem sabe ainda tenha vontade e café para ver uns quantos episódios

sexta-feira, 18 de março de 2011

Today

"Darlin
You're hiding in the closet once again
Start smilin
I know you're tryin
Real hard not to turn your head away
Pretty darlin
Face tomorrow, tomorrow's not yesterday
There's nothing else I can do but love you the best that I can
You're not the only one who through it
I've been there alone and now so are you
I just want you to know, want you to know it's not your fault"

Perto






Eu não sei dizê-lo. Sei apenas senti-lo. Sei apreciar as imagens e sonhar um bocadinho mais porque, na realidade, está cada vez menos longe de se tornar em essência. Quero viver, não perder um por do sol que seja. O mar, o céu, tudo em reunião para o (re)surgir daquilo que mais se anseia. O auge, o sonho, desde sempre, a tornar-se na maior e melhor realidade. Não consigo deixar de demonstrar o quão deliciada fico com o que está para vir.

«Apoderou-se de mim uma fúria de viajar. Mas acima de tudo queria voltar à Grécia, que foi para mim o deslumbramento inteiro e puro e onde me senti livre e com asas.»


Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena

sábado, 12 de março de 2011

"Eu nunca fiz senão sonhar"

Da poesia mais brilhante, dos melhores escritores, retiramos pedacinhos de histórias que queremos preservar. Eu cá não troco a minha querida Sophia por nada, mas dou-me por rendida a uns outros tantos queridos que encarnam dos meus livros.


sexta-feira, 11 de março de 2011

Forever you will be


A shining star.
Be whatever you can be

Indomável

Somos mesmo seres pequeninos, completamente insignificantes. Sonhamos e idealizmos, fazemos planos e tudo acaba em menos de nada. Um sopro e desapareceu tudo. E agora temos dias mais curtos. What's next?

Desde sempre e para sempre

quarta-feira, 9 de março de 2011

Vícios

Há coisas que nunca mudam.
Todos os dias, todos todos, me vou perder dentro do ecran da televisão para (re)viver muitos pedaços da infância que ficaram lá para atrás.
Já devia ter juízo. Realmente devia, mas contento-me porque me dou com pessoas com menos juízo que eu.

Ai se vai

Decisões tomadas. Qual deixar de ver as séries que gosto só porque dão tarde ou deixar de estar com quem quero só porque estamos em aulas. Não. Vai deixar de haver destes impedimentos.


E estar de volta para me dedicar às coisinhas que gosto, isso, vai ser uma doce obrigação diária.

"Pensar é fazer e dizer"

quinta-feira, 3 de março de 2011

Para hoje





Por favor.
Não quero mais ouvir falar em frio, esteja ou não um sooool magnífico. Quero praia e calor, batidos e muitos livros para devorar. Pode ser que alguém me oiça.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Março, Março

Dei-me conta da extrema importância deste mês. Quem diria, ahm? ;)
Chega a primavera, chega o cheiro das árvores e do calor, chega a luz e o quente, chega a vida. mais uma vez. uma nova ronda, um novo ano, um novo recomeço também. é tão bom saber que num ano se completam tantas coisas, tantas metas são alcançadas, tantos porquês são postos para trás. quem diria?
Foi um ano de perdas e um ano de escolhas. um bom ano em que nos passámos a sentir um bocadinho mais completos, menos cheios de pesos. ultrapassadas várias barreiras da própria consciência e tantas memórias arquivadas, com carinho, lá bem no fundo daquilo que somos. segredos revelados e distâncias tornadas suspiros. são os sorrisos e a vida que fazem compensar. é a amizade indestrutível. Obrigada?
;) mal posso esperar pelo resto da viagem


Os suspiros




De hoje


long day

Acordar e ter a sensação de que o dia vai ser bom, é das melhores surpresas, logo pela manhã. Abrir a janela e ver o sol a nascer e sair de casa com a maior inspiração é ainda melhor. As aulas que voam, o tempo que passa sem darmos conta, o almoço com a pessoa que me rouba o maior sorriso todos os dias, o passeio pelos jardins de Belém e o melhor chá acompanhado dos melhores pastéis. A melhor família e o melhor ramo de flores. É para estes dias que eu acordo.

"O sorriso que eu tinha na cara hoje quando acordei, devias ter visto"


terça-feira, 1 de março de 2011

Pequenas Surpresas

Há uns que dizem que só ouço música foleira, que não sei apreciar aquilo que é bom. Seja como for, há sempre uma ligação que teimo em estabelecer com as músicas que conheço. Gosto principalmente de me saber identificar com os artistas, tanto tanto que parece que são parte de mim. E depois, há aqueles extraordinários senhores e senhoras que nos sabem mesmo dar música, que nos levam na canção e até nos fazem soltar uma lágrima. Ultimamente, tenho visto alguma televisão e, no único canal que tenho paciência para ver constantemente, havia sempre uma maldita voz que persistia em sussurrar-me ao ouvido durante horas. E claro está, apaixonei-me perdidamente.