sexta-feira, 29 de julho de 2011

A Casa da Floresta

Dei por terminado Nunca me Esqueças, e regressei a uma obra de uma das minhas escritoras eleitas, perdida cá por casa, mas que vai ser um sucesso, garantidamente.

Vamos lá

De mão dada com arrumações aproveito para preparar a mala para sair para a minha casa de férias, antes de me lançar para um avião (que pouca saudade tenho eu destes) e rumar à Grécia. E, mesmo de férias, acabo sempre por ter que planear convenientemente tudo o que quero fazer durante este tempo. Ler, sem dúvida, tocar piano e fazer bolos são os primeiros da lista. Banhos de sol e bronzes hão de ficar pra próxima época sendo que o amigo Sol se teima em esconder por detrás de tantas nuvens. Ainda assim, sabe bem, finalmente, não ter que por despertador, não ter que andar cinquenta mil vezes de autocarro por dia (porque isto de tirar a acarta ainda vem longe), não ter que estudar(!!!!!!!) e poder, simplesmente, ficar um dia inteiro a rever séries e filmes que fui deixando penduradas ao longo de meses. E agora a Inês preocupada com exames, passa a ser a Inês despreocupada (só ansiosa com a Faculdade, nada mais).
See you!  ( a única desvantagem de partir para longe é ficar na dúvida se vou ter, ou não, internet para desfrutar do Blog.....)


quinta-feira, 28 de julho de 2011

Férias

Depois de ter passado a tarde de ontem nas compras sem ficar com um peso na consciência por estar a desperdiçar tempo de estudo, eis que chegou o momento para me (des)fazer aos papéis. Foram mais de quatro sacos cheios de (tantos!!) apontamentos, fichas velhas, cadernos impossíveis de reutilizar, canetas que deixaram de escrever, fotografias antigas, textos perturbados, pedaços do passado que precisavam (mesmo) de ir embora das minhas estantes e móveis. Mesmo depois de tudo isso, e de uma manhã a dar a volta ao que ficou por arrumar ainda tenho triliões de coisas sobre as quais me tenho de debruçar, enfrentar e, quem sabe, desfazer. Adoro arrumações. Mesmo quando são extremamente cansativas e tiram grande parte de nós. Mas no fim, só vejo que o que ficou foi um quarto desejavelmente arrumado depois de três anos a acumular tralha e lixo. Acho mesmo que tenho aquela doença de aquisição de coisas que não têm finalidade nenhuma.
E, finalmente de férias e descansada posso ir passear-me por Lisboa e deliciar-me com o melhor bolo de chocolate do mundo! E continuar a sonhar com o que está quase quase a chegar...

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Chegar ao fim

Exausta, pronta para me atirar a um penhasco pelo (tanto) esforço que foi levado pelo vento, em menos de três horas. Custa muito saber que não chega. Nunca chega. Mas acabou, pelo menos. Já me vejo livre do secundário e pelo menos isso vai fazer compensar tudo. Poder seguir em frente com a maior vontade de trabalhar num curso que adoro é um sentimento excelente que quero prolongar durante muito tempo. Vamos embora, faculdade. Mal te posso esperar, mas antes, aguardam-me as poucas e recheadas férias que tanto ansiei.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Finalmente

Acabaram os estudos, acabaram os desesperos para cumprir planos e horários, acabaram as preocupações (menores). Amanhã e depois enfrentarei os testes que vão fazer valer a pena todo o esforço e todos os sacrifícios. Wish me luck


sábado, 23 de julho de 2011

"por mares nunca antes navegados"

Há duas noites que faço por mergulhar mais de duas horas no livro que estou a ler. Durante esse maravilhoso momento dou por mim a navegar nos mesmos mares que aquelas pessoas, a saborear diferentes texturas e a deliciar-me com cheiros tropicais. Vejo-me no mesmo barco que ultrapassou tremendas tempestades e monstros, que carrega uma família completa, rodeada de boas amizades. Senti-me tão ansiosa quanto todos eles, no momento em que fugiram da colónia penal; partilhei com lágrimas a dor e o sofrimento de uma mãe que perde os filhos e vi, na primeira pessoa, um amor verdadeiro a ser separado pela morte. Revoltei-me com as poucas condições em que viviam milhares de pessoas e com mais vontade fiquei de seguir o meu rumo. Fui dolorosamente confrontada com a sensação de estar na mesma posição de uma das personagens que, fatalmente, passou a ter imenso significado para mim. Nunca antes, depois de ter percorrido tantos livros com os olhos, me tinha deixado levar tão dentro de uma história. Foi uma surpresa... Eu à espera de um romance ligeiro para devorar sem grandes espantos e acabei por ir ao encontro de um livro extraordinariamente rico, complexo e intrincado, que, mesmo com os olhos inchados de tanto ler (e de chorar), me puxa para ler as cem páginas seguintes. Resta-me pouco, muito pouco, e mal posso esperar pelo que vou encontrar ainda que, relutantemente, lute para não ter de acabá-lo. Também eu fui tornada prisioneira deste romance...
Ainda bem que há livros assim... e ultimamente tenho tido muita sorte com os que agarro das estantes da Fnac.

Dar o litro

Preparadíssima para enfrentar o último fim-de-semana de estudo intensivo. Só mais dois dias. Só mais dooois...


quinta-feira, 21 de julho de 2011

terça-feira, 19 de julho de 2011

Querida Nani

(Chata como tu não há mais ninguém, por isso, para ver se os ciúmes acalmam um bocadinho vou dar-te um pedacinho do meu blog.)

Sim, gosto muito de ti e mal posso esperar que saias de casa (para eu ficar com o teu quarto, também) mas para poder passar a minha vida na tua casa, a fazer-te companhia (de que vais sentir tanta falta). É ou não é?

Still


O que só tu sabes dar-me melhor que ninguém.

Bitter is the kiss that says goodbye

Fui sempre sincera. Desde o ínicio. Dei importância a tudo, a todos os momentos. Talvez agora dê ainda mais importância a todas as (boas) memórias que ficam guardadas connosco, eternamente. Prefiro, como sabes, garantir aquilo que temos de melhor, uma amizade indiscutivelmente indestrutível, a perder tudo o que construímos por falta de boa gestão ou paciência para lidarmos com determinadas situações. Eu dei o meu melhor. Tentei durante muito tempo aprender a lidar com a minha impaciência e com os meus erros para ser melhor, porque tu merecias. E mereces. Mas chega a um ponto em que não consigo dar mais de mim, em que há coisas que se interpõem entre nós e que eu não quero separar. Não sei se é porque ainda não estou disposta a dar o tudo por tudo numa relação, mas tenho um medo insuportável de errar e de te perder, de deixar de partilhar o que partilho neste momento e tive que tomar uma decisão. Pode não ser a melhor, por agora. Nem é, por certo, a mais fácil. Mas é a mais correcta. Temos um mundo para conhecer e podemos conhecê-lo lado a lado, sem nos perdermos. Tenho a certeza disso, porque no que toca a amizades, ganhamos tudo.
Aprendi mil e uma coisas a teu lado e não me consigo lembrar de um único momento em que possamos ter errado. E tenho a certeza de que se hoje voltássemos àquele dia eu teria dito exactamente a mesma coisa que disse. E vou segurar a tua mão enquanto me for permitido. Prometo.

I don't wanna lose you. It's a long journey. Stay.

Post it

é
Ler é sonhar pela mão de outrem
F. Pessoa

segunda-feira, 18 de julho de 2011

right?

Não sei bem o que procuro mas sei que no final hei-de ir ao encontro daquilo que mais falta me faz e do que me vai fazer sentir mais estável. Tenho sede de voar para longe das preocupações com situações que detesto, tenho vontade de dar o meu melhor naquilo que acho valer a pena. Tenho medo de desiludir e magoar mas mais tarde ou mais cedo o pior tem que acontecer porque já não há nada de novo, mesmo no meio de uma eterna descoberta. O mundo lá fora chama por mim e tanto me prende aqui, tanto me dificulta o alcançar do sonho.
Às vezes a decisão mais fácil acaba por ser a decisão mais acertada também. E hoje, é isso que eu penso da vida que vivo.


sexta-feira, 15 de julho de 2011

A propósito de festejos...

Tenho uma Madrasta fantástica que tem umas mãos de fada e constrói umas coisas deliciosas!





Ajudo a divulgar esta nova ideia por isso quem estiver interessado, let me know ;)

15

Hoje é um dia muito especial, por mais que uma razão. Acima de tudo, torna-se importante por estar apenas a um mês de uma data com maior importância ainda, o dia em que estou, se tudo correr bem, a festejar os meus 18 na Grécia, com o vestido branco da Mango que acabei de comprar (finalmente!). É importante porque recebi boas notícias, porque é sexta feira e vou de fim-de-semana, porque falei com a minha Madrasta lindinha que me inspirou a lutar com mais força ainda por tudo aquilo que realmente quero para o meu futuro. É importante porque fui aconselhada (desta vez pela Mãe) a mergulhar de cabeça num dos meus projectos mais aliciantes que me vai fazer sentir a estudante de ciências mais realizada no campo das letras.
Dias bons... Adoro!


Boas notícias?

Não é de certeza ter tido 17,1 no exame de português e ficar satisfeita.



quinta-feira, 14 de julho de 2011

Era o havia

Só por cá é que não se encontram anúncios destes...


Toma lá!


E agora que já não tenho que me preocupar, vou trocar as facas pelas dentadas.
Já não era sem tempo! 

Nada muda

Obrigada

Um dia já eu mal me lembrarei dos vossos nomes. Apesar disso, hoje, o meu nome arde nas vossas bocas do tanto que falam de mim.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Nop

Haverá algo pior que ter que acordar todos os dias às 7 (sete) da manhã, para me deslocar à explicação que se demonstra infrutífera e regressar a casa para que apenas 4h das 16 horas que estou acordada servirem para o meu belo descanso?

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Podia ter-me dado para pior

Passei horas a fazer brincos e fios com pendentes que fui encontrando em caixas já antigas, cheias de missangas e bujigangas.
Aproveito para deixar o meu local de inspiração
 




De mim

Olhei-me no espelho e vi que a imagem era outra. Hoje, espreitei por detrás do apenas reflectido e gostei do que vi. Sabe bem mudar. É purificador.


domingo, 10 de julho de 2011

Hello Mia











Tem um mês, é muito conversadora e adora comer... não deixa ninguém aproximar-se do seu prato de comida. Não sabe beber água, quase que se afoga. Corre imenso e brinca ainda mais. É um amor que derrete corações.

What else?

Que posso dizer? Que o mundo dá mil e uma voltas em apenas 24 horas? Sim, dá. Então meu foi uma loucura. Desde um festival completamente arruinado, ao dia de anos da minha mãe que foi preenchido com a melhor prenda de todos os tempos (que hei-de apresentar-vos em breve).
O Jared... O Jared é sempre o Jared e tem o poder de me fazer esquecer as 12 horas que esperei por vê-lo, a quase um quilometro de distância, de me fazer esquecer a segunda fila, completamente destruida pelas voltas que aquele povo deu por motivos de segurança, fez-me esquecer as dores nas pernas e os escaldões nas costas, a fome, a sede e a vontade de ir a casa de banho. Estava disposta a ficar lá 24 horas em pé, naquela segunda fila para poder ter uma das experiências mais inesquecíveis. Mas não. O mundo dá mil e uma voltas e nada corre como planeamos. Já seria de prever. Mas que voltava a fazer tudo de novo, sim, voltava.
E a prenda chama-se Mia. É uma gatinha linda linda que tive o prazer de adoptar. Tem um mês e é um lutadora ;)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

É já amanhã..........



De nós para nós

Um dia destes tive um jantar que me trouxe à memória muitos e bons momentos que tive o privilégio de viver com vocês. Passei toda a noite a conversar sobre muito daquilo que se passa hoje, no nosso presente, mas tive também a oportunidade de relembrar, cá para mim, dias e dias de sorrisos que hoje só encontro distorcidos e vagamente presentes (ou distantes, não sei bem).
E optei por fazer uma das coisas que mais gozo me dá: pegar nos milhões de dossiers com fotografias que a minha família foi coleccionando, e que hoje me preenchem muito com todo o carinho que nutro por todos.

(Sempre fui um bocadinho contra publicar fotografias pessoais que dessem oportunidade a todas e quaisquer gentes de cuscar a minha vida (mais que) privada, mas acabo de concluir que sou a pessoa mais orgulhosa naquilo que diz respeito ao pedaço mais precioso de mim, meus queridos amigos/familiares. E este post é para vocês.) Enjoy (desculpem a minha falta de paciência por ter digitalizado tão poucas ou se digitalizei precisamente aquelas em que os vossos penteados/roupas/caras são as melhores das melhores)






















"Sou grata porque por mais complicadas que as coisas fiquem, as amizades antigas podem ser reanimadas. Sou grata pelos novos relacionamentos que nos ajudam a perceber o quanto nos distanciamos de quem éramos e o quão próximo ficamos quando podemos ser nós mesmos."