sábado, 31 de agosto de 2013

Right?

Podemos errar uma, duas ou até três vezes. Erramos repetidamente para ter a certeza de que não estamos a seguir o caminho certo, ou pelo menos não aquele que delineámos para nós próprios. Erramos connosco, erramos com as pessoas que escolhemos para ter ao nosso lado, erramos em variadíssimas situações. Mas há-de chegar o dia em que simplesmente deixamos de o fazer. Optamos por um caminho diferente, sem grandes expectativas para evitar iguais desilusões. Um que nos sirva naquele momento exacto, porque é daquilo que precisamos. E talvez até nos surpreendamos, talvez até sejamos mais felizes do que algumas vezes imaginámos, só porque não houve planos, não houve regras. Houve apenas um olhar, um encruzilhar de emoções que não se conseguiram conter. E foi isso que aconteceu.

domingo, 25 de agosto de 2013

Pois

Saudade|au ou a-u| 
(latim solitas, -atis, solidão)
s. f.
1. Lembrança grata de pessoa ausente ou de alguma coisa de que alguém se vê privado.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013


If it's not forever
If it's just tonight
Oh, it still the greatest 


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Como é que sobrevivi?

Ainda hoje não sei muito bem, mas as pessoas adaptam-se. Posso muito bem ser a princesa cá de casa num dia e, no outro, trocar a minha cama real por uma tenda real e acampar durante uns dias longe do mundo. Foi uma adaptação rápida e fácil. Quem é que não se habitua a acordar com o sol nascente às seis e pouco da manhã? Ou jantar sentada no chão com um pôr-do-sol estrondoso? Isso, aliado a excelentes companhias, noites do melhor, tornaram aquilo que eu pensava que ia ser um tormento, nos melhores seis dias do meu verão. É estar aliada de alma e coração à natureza que nos rodeia e às amigas (odeio-as tanto) aranhas. Mas não, não há nada melhor que a água fria parar tirar o sal de um dia quente de praia, e acordar às gargalhadas com os vizinhos a gritaram com as visitas de seis patas (é que para além de nojentas entram nas tendas sem pedir!). E foi o melhor do Sudoeste para mim. Isso e os amigos Natiruts, que me surpreenderam daqui até à lua. Mas que bem. Para o ano há mais!

E é mesmo isto


quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Venham mais 20, melhores ainda

É o tempo que passa sem darmos conta. São as coisas boas que surgem mesmo quando tudo à nossa volta parece o caos. É brilhar mais que toda a gente na noite que se aproxima, porque se é feliz. Muito feliz. É dar graças a Deus por tudo o que temos e que procuramos ter. Ser grato, ser feliz, contar com quem conta connosco. Dar um abraço forte, dar um beijo de despedida, dizer até já ou gostei muito de vos conhecer. É saber dar valor a um olhar escondido no meio da multidão. Dançar sozinha, abraçada, pôr os braços no ar porque temos tudo o que precisamos. Olhar para o céu e sorrir, olhar para o mar e sorrir, olhar para tudo e sorrir. Dar gargalhadas altas, sentir a água fria que cai sobre o corpo. Crescer, ver o mundo na palma da mão e agarrá-lo com força. Ainda são poucos, mas são bons. Ainda são só vinte, mas sabem a vinte mil. É tudo isto que se celebra. É o nascer, o crescer e o envelhecer. E eu gosto tanto assim.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Post it


Chegou

O melhor mês do ano. Por todas as razões e mais algumas. O Verão continua (sabe tão bem pensar que ainda tenho um mês inteirinho para aproveitar, depois de outros dois que foram excelentes), o festival mais aguardado está mesmo mesmo a chegar e... melhor, os vinte anos (vinte, vinte, vinte) estão perto de ser celebrados. Não podia estar mais feliz.