terça-feira, 23 de junho de 2009

O começo


Fui novamente inserida num cenário completamente desejável a qualquer um. Desta vez, entrei indiscutivelmente em transe, quase hipnotizada, caminhando num novo rumo, a idealizar os planos que estão pra vir. A inspiração é muita, mas nunca demais. Rodeada de nada e de coisa nenhuma, a flutuar sobre as minhas próprias ideias e incertezas, as imagens começaram a formar-se e então gritei alto, dentro de mim: "vou agarrar isto com a maior força do mundo". e porquê? porque a vida é uma viagem e porque tudo o que fazemos nos preenche e nos deixa memórias e passados que mais tarde vamos querer reviver. ponto. é 'só' isto. e é um 'só' muito grande. demasiado grande, porque a maioria das pessoas não consegue suportar o peso, as consequências, a vida deste 'só'. muitas delas se deixam levar por aquilo que é demasiado comum e de fácil concretização. não vão mais longe, não sonham, não avançam, não pensam em tornar possível o que sempre acharam não conseguir alcançar... e por isso o mundo não muda e permanece na sempre constante monotonia. vamos em frente então, vamos mostrar as nossas ideias, expressá-las das melhores e mais incríveis maneiras. Preciso de vocês a partir daqui moças. Inês e Inês, a outra Inês precisa de palavras! ;D

[let's give hope to the hopeless]

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Oh yeah baby =P

    Já sabes que estou aqui. Agora é avançar com isto para a frente.

    Tenho a pequena impressão que vai sair daqui uma coisa excelente =D

    ResponderEliminar
  3. Eu não tenho impressão, tenho certeza.
    é de vez e sempre. @
    temos demais para mostrar, e muito pouco a esconder neste momento.
    "let's give hope to the hopeless", that's just the way.

    ResponderEliminar
  4. preciso das vossas ideias meninas, precisamos de começar! e acho que o blog é o meio indicado pra isso ;D

    ResponderEliminar
  5. já tenho começado a pensar nisso e acho que, já que vamos fazer para crianças com uma segunda mensagem, podíamos começar a escrever alguma coisa tipo mais fantasiosa, com personificações e assim. uma história tipo fábula, ou uma história por exemlo sobre o mar ou isso, em que ele fosse a personagem principal, algo do género.

    ResponderEliminar
  6. Ya a ideia do mar ocorreu te na praia =D

    Gente, temos de mudar de nome aqui no blog. Porque somos três ineses e eu não percebo se quem escreveu foste tu ou o meu piqueno anjo xD

    ResponderEliminar
  7. ahh sim , muito melhor xD concordo com a ines que escreveu no dia 28 . acho perfeito ser relacionado com o mar ... e faz me lembrar Sophia de Mello Breyner (que é, no mínimo, excelente). Como a Fona nos disse uma vez, deviamos começar pelas personagens e as suas respectivas caracterizações, a mensagem que queremos deixar no conto... etc. boa ?

    ResponderEliminar
  8. "concordo com a ines que escreveu no dia 28"

    pensava que essa eras tu xD

    Sim, as personagens é sempre o primeiro a fazer. Mas convém termos uma ideia-base da história primeiro. Para podermos caracterizar as personagens consoante o mundo em que estão inseridas.

    Por exemplo, querem uma história que se passe nos dias de hoje,na idade média? Ou que seja intemporal?
    Querem que se passe em Portugal, na Grécia? Ou num local de não existe?
    Pormenores desse género. Dêm ideias =)

    ResponderEliminar
  9. Eu, pessoalmente, acho que devia ser tudo intemporal, imaginário ... completamente inventado. É mais fácil. Como já tinhamos falado, escrever acerca de uma cidade, país, requer imensa pesquisa e (sem ofensa) não temos essa capacidade xD pelo menos ainda, vá. mas amanha vamos ter oportunidade pra anotar algumas coisitas :p love yaa

    ResponderEliminar

Conta-me histórias ♛